Velejando no Amazonas em homenagem a Pedro Teixeira

O amigo cineasta e velejador, Olympio Guarani, pede que eu comente o seu artigo “Por que refazer a Expedição de Pedro Teixeira?” (https://portalamazonia.com/navegador-da-amazonia/por-que-refazer-a-expedicao-de-pedro-teixeira)

É o que farei.

Conheci o Olympio no gabinete do senador Telmário Mota em Brasília. A conversa seguia mansa até que, por uma razão da qual não me recordo, a palavra veleiro foi pronunciada. A partir daí o que era uma amável troca de impressões sobre temas diversos virou uma acesa obsessão monotemática entre dois amantes da vela.

Em 1980, fiz a minha passagem para a vida adulta de uma forma diferente da quase totalidade dos jovens. Não servi às Forças Armadas. Fiz uma viagem de veleiro de Salvador até a Namíbia, na Costa Oeste da África, em busca de conhecer uma experiência socialista, na vizinha Angola. Uma expedição prevista para durar 24 dias durou 40. Foram memoráveis 40 dias e 40 noites em alto mar, assunto para outra prosa.

Aquela foi a minha aventura sob a força do vento e o manejo das velas. A do Olympio Guarani ele a realiza agora: “Há alguns anos a ideia de navegar pelo rio Amazonas seguindo os caminhos de Pedro Teixeira, o Conquistador da Amazônia, faz parte do nosso projeto de vida. Realizá-lo agora é o grande desafio.”

Em 1637, o alferes Pedro Teixeira comandou uma expedição que reuniu 45 canoas, 70 soldados e 1.200 flexeiros e remadores indígenas águas acima do Amazonas para confirmar a comunicação entre o Oceano Atlântico e o Peru. Os feitos e registros de sua viagem foram fundamentais para a estratégia portuguesa no Tratado de Madrid, de 1750 (que substituiu o Tratado de Tordesilhas, de 1494), no qual se consagrou o princípio do direito privado romano do “uti possidetis, ita possideatis “ (quem possui de fato, deve possuir de direito), delineando os contornos aproximados do Brasil de hoje. Assim, o Brasil deve os seus contornos geográficos atuais em parte a Pedro Teixeira.

Que melhor homenagem a este gigante da nossa história do que refazer em veleiro sua prodigiosa aventura? Como diz o pesquisador Olympio Guarani no seu breve artigo: “A enorme importância da Amazônia hoje no contexto mundial, a necessidade de conhecê-la melhor e a lacuna da difusão de conhecimento, justificam a produção prevista no projeto Expedição Pedro Teixeira – A Nova Descoberta do rio das Amazonas”. Nele a Amazônia não será apenas um assunto a mais como ocorrem em outros documentários televisivos que, eventualmente, abordam a região como pauta.”

A viagem está em curso e pode ser acompanhada em episódios divulgados no YouTube: https://youtu.be/VGPc9oEYsng

Samuel Gomes

Marinheiro, pois, descente de açorianos da Ilha de São Jorge que aportaram no Rio Grande em 1730!

Deixe um comentário

Os comentários serão avaliados pela redação. Solicitamos que o debate de ideias seja mantido em nível elevado, à altura da busca de soluções para os problemas nacionais. Não se admitem xingamentos pessoais nem acusações que configurem os crimes de calúnia, injúria e difamação.

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui