Ariano Suassuna

A Seção Brasilidades do Portal Bonifácio celebra, neste 16 de junho, o aniversário de 94 anos de nascimento do escritor Ariano Suassuna (Parahyba do Norte-PB, atual João Pessoa, 1927 – Recife, 2014). Ariano Vilar Suassuna foi dramaturgo, romancista, ensaísta, poeta, professor e conferencista, idealizador do Movimento Armorial, que procurou criar uma ate erudita a partir de criações populares. Escreveu clássicos da dramaturgia e da literatura, entre eles Auto da Compadecida e o romance Pedra do Reino. Estudou em Recife no Colégio Americano Batista, o mesmo frequentado pelo sociólogo Gilberto Freyre. Na Faculdade de Direito do Recife, com Hermilo Borba Filho, fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco e em 1947 escreveu sua primeira peça Uma Mulher Vestida de Sol. Ariano era profunda e radicalmente nordestino e brasileiro, sem concessões aos modismos ou ao cosmopolitismo de consumo. Citava Shakespeare de improviso, assim como os clássicos portugueses e espanhóis, excluindo de seu nacionalismo qualquer tipo de cabotinismo ou xenofobia cultural. Em 2008, desfilou em carro alegórico ao ser homenageado pela Escola de Samba Mancha Verde no carnaval paulista. Integrou a Academia Paraibana de Letras e a Academia Brasileira de Letras. A memória de Ariano Suassuna deve ser celebrada por todos aqueles que têm amor ao Brasil, à sua história, memória e cultura.

3 COMENTÁRIOS

  1. Ariano Suassuna, importante intelectual brasileiro, grande conhecedor da cultura e da alma do povo, demonstrados em suas inúmeras formas artísticas. Simplesmente fantásticas!

  2. Ariano, era tido Por polêmico
    Porque não admitia o enlatado, que desvirtua a nossa história e a nossa cultura.

  3. Bom dia
    Ariano exemplo a ser citado como representante fiel das tradicoes nordestinas.
    Viva Ariano com sua contribuição literatura e a cultura.

Deixe um comentário

Os comentários serão avaliados pela redação. Solicitamos que o debate de ideias seja mantido em nível elevado, à altura da busca de soluções para os problemas nacionais. Não se admitem xingamentos pessoais nem acusações que configurem os crimes de calúnia, injúria e difamação.

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui