Anita Novinsky

Aldo entrevista Anita Novinsky

A professora da USP Anita Novinsky defende os bandeirantes e denuncia a inquisição. Confira a entrevista completa.

6 COMENTÁRIOS

  1. […] Em seu livro “Os judeus que construíram o Brasil”, Anita contaria mais tarde, em detalhes, a  história dos bandeirantes que, em sua maioria, eram de origem judaica e por isso lutavam contra as Missões dos Jesuítas, identificados que eles eram com a Inquisição de Lima, então a algoz dos “cristãos novos” no Brasil. Até o fim de seus dias, Anita defendeu ardorosamente os bandeirantes que, mais do que algozes de índios e padres, como está na moda acusá-los, eram perseguidos pela Inquisição devido a seu “sangue israelita”. Anita deu uma brilhante entrevista a respeito dos bandeirantes para o ex-ministro Aldo Rebelo, que pode ser assistida no seu site Bonifacio. […]

  2. Pra mim foi um prazer com viver com a Dra Anita novinsky eu tenho uma grande gratidão por ela.

  3. Muito bom, já li o livro Critaos novos na Bahia de 1972.
    E surpreendente as revelações, parabéns.

  4. Sou grato ao Eterno por nos ter guardado da morte sob o jugo da inquisição católico romana !

  5. Shalom Querido Aldo Rabelo! e Shalom Querida Anita Novinsky! Dra. Prof. Anita Novinsky, gratidão sempre. Pergunta a Sra. Anita e Sr. Aldo. Oque precisa acontecer ou fazermos para a verdadeira história do Brasil ser reescrita?
    Em memória dos judeus brasileiros chamados pela igreja católica de criptas judeus, cristãos novos e Marranos que os bens foram confiscado e levados para serem mortos queimados vivos nas fogueirasda inquisição católica romana em Portugal , vamos a todos judeus de abençoada memória e por nossa identidade judaica vamos reescrever a história do Brasil descoberto e povoado por judeus nos trezentos anos do Brasil colônia época da inquisição maior genocídio da humanidade. Escuta Israel. O Eterno é nosso D’us. O Eterno é Um!
    Grata

Deixe um comentário

Os comentários serão avaliados pela redação. Solicitamos que o debate de ideias seja mantido em nível elevado, à altura da busca de soluções para os problemas nacionais. Não se admitem xingamentos pessoais nem acusações que configurem os crimes de calúnia, injúria e difamação.

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui